AS RAINHAS TRANQUILAS

chardonnay-98-1-4A CHARDONNAY, também conhecida como Aubaine, Beaunois, Melon Blanc ou Pinot Chardonnay, é considerada a rainha das uvas brancas, por sua versatilidade, apesar de muitos considerarem isso um ponto negativo. Dirão alguns : “falta-lhe personalidade própria”, mas não podemos cometer injustiças com uma rainha, não é mesmo ?

Proveniente da região da Borgonha, e participante fundamental do blend que compõe o ícone francês Champagne, a Chardonnay pode gerar desde vinhos leves e frescos até extremamente encorpados. Isso acontece em virtude da uva ser originalmente pouco aromática e acabar por “traduzir”, muito bem, o terroir do local que a abriga, além de beneficiar-se elegantemente do estágio em barrica (quando ocorrer). Por isso, as críticas em relação, à sua suposta, falta de personalidade.

CHARDONNAY2.jpgOs vinhos produzidos com a uva Chardonnay, geralmente, apresentam notas de frutas cítricas, flores, manteiga, madeira e, dependendo da vinificação e terroir, minerais e até fumaça. É muito disseminada pelo mundo : França (Côte de Beaune, Chablis, Champagne, entre outras), Itália (onde gera desde espumantes até vinhos de sobremesa), Espanha (Cavas), Chile, Austrália (vinhos untuosos e frutados), Argentina (Mendoza), Estados Unidos (vinhos aromáticos e pouco ácidos, na Califórnia) e Nova Zelândia (considerados, atualmente, os melhores Chardonnay do mundo).

A uva Chardonnay tem casca muito fina, sendo suscetível a mofo, bolor, pragas e doenças. Além disso, a videira costuma dar muitos bagos, assim torna-se fundamental o cuidado com a poda, para limitar esse crescimento exagerado e a consequente diluição dos nutrientes.

Chardonnay-socialAs uvas colhidas em estágio menos maduro tendem a produzir vinhos com notas de maçã verde e limão. As mais maduras, notas de abacaxi e manga. O clima também mostra influência decisiva, deixando-o mais leve e refrescante em clima frio e mais denso e encorpado em clima quente. Esse tipo de diferença não é difícil de perceber e pode orientá-la(o) em uma degustação às cegas.

Chardonnay produzidos na Borgonha e Nova Zelândia tendem a apresentar corpo médio, com notas bem frutadas e até minerais; devem ser servidos ao redor de 9 graus e acompanham bem ostras e frutos do mar. Já na Califórnia e Austrália, são encorpados, com teor alcoólico mais alto e notas bem marcadas de madeira e manteiga; devem ser servidos menos frios (12 graus) e vão muito bem com carne de porco e frango.

E você ? Já decidiu se a Chardonnay é uma uva “sem personalidade” ou se é a rainha das brancas e consegue, com elegância e maestria, traduzir o terroir de onde vive, permitindo também que o enólogo mostre sua assinatura e estilo próprio ? Eu fico com a segunda opção !

Se a Chardonnay é considerada a rainha das uvas brancas, definitivamente a Cabernet Sauvignon é a rainha das tintas.

cs2Também bastante disseminada, além dos países considerados tradicionais em viticultura, podemos encontrá-la em sítios não tão conhecidos, como Canadá, China (maior consumidora de vinho tinto do mundo), Venezuela, Israel e até Zimbábue. É a uva tinta mais plantada do mundo !

É a principal uva de Bordeaux, apesar de não ser a mais plantada na região (perde para a Merlot). Derivada do cruzamento de Cabernet Franc (da qual herdou as notas de frutas vermelhas) e da Sauvignon Blanc (de onde vem as notas de ervas frescas), tem na região francesa de Languedoc-Roussilon, o maior produtor mundial dessa uva.

Cabernet-Sauvignon-Sample-1024x1015A Cabernet Sauvignon é a uva “amiga do viticultor”, pois demonstra grande adaptabilidade, bom rendimento e é muito resistente a pragas, além de gerar vinhos com ótima capacidade de envelhecimento. Seus vinhos apresentam infinita gama de perfis, desde tintos encorpados, rosés, espumantes e até brancos (como o Blanc de Noir, israelense).

Não é raro sentir aroma de pimenta verde, pimenta preta ou sálvia em vinhos feitos com Cabernet Sauvignon. Isso decorre da presença de METOXIPIRAZINA, em pequena quantidade. Em excesso, essa substância pode provocar desagradável gosto vegetal e sabor forte de pimentão. A causa é o excessivo crescimento da parte folhosa da videira.

A Cabernet Sauvignon é meia-irmã da Merlot, Carménère e da Hondarribi Beltza (País Basco). Procure reparar na semelhança de aromas e sabores entre elas. A confusão na cabeça do degustador acaba sendo inevitável algumas vezes.

Frequentemente, a Cabernet Sauvignon participa de alguns blends (cortes) já consagrados. São eles :

  • BORDEAUX : Cabernet Sauvignon + Merlot + Cabernet Franc + Malbec + Petit Verdot + Carménère
  • SUPERTOSCANOS : Sangiovese + Cabernet Sauvignon + Merlot + Cabernet Franc + Syrah
  • CORTE CMS : Cabernet Sauvignon + Merlot + Syrah
  • CORTE AUSTRALIANO : Cabernet Sauvignon + Shiraz

Cabernet-Sauvignon-Taste-aging-wineA Cabernet Sauvignon vai muuuito bem com carne. Seus taninos marcantes agem como “raspadores” de gorduras e proteínas da língua, limpando o paladar e preparando sua boca para a perfeita leitura do gosto da comida.

Definitivamente, são duas belíssimas uvas e, como qualquer vinho, elas vem carregadas de história, filosofias de vida e de trabalho, dedicação e da absoluta vontade de agradar a quem bebe aquele vinho. E isso, meu amigo(a), na minha opinião, não tem preço !


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s